Filhotes de pato-mergulhão nascem na Serra da Canastra

Pesquisadores do Projeto Pato Aqui, Água Acolá acompanham o nascimento de 10 filhotes da espécie que está ameaçada de extinção

20/07/2018

A equipe do Projeto Pato Aqui, Água Acolá acompanhou o nascimento de 10 filhotes de pato-mergulhão na região da Serra da Canastra, Minas Gerais, em dois ninhos. Os pesquisadores localizaram e monitoraram os ninhos durante todo o período de incubação até o nascimento dos filhotes, em julho. “Este monitoramento e a busca constante por novos ninhos tem possibilitado a obtenção de dados inéditos sobre a biologia reprodutiva do pato-mergulhão, uma espécie criticamente ameaçada de extinção e que depende de água limpa para viver", explica Lívia Lins, coordenadora do Projeto que conta com o patrocínio da Petrobras. Informações como tamanho da postura, tempo de incubação, sobrevivência dos filhotes, entre outros aspectos, são essenciais para traçar estratégias para a conservação da espécie.

O pato-mergulhão é uma das 10 aves aquáticas mais ameaçadas de extinção do mundo. É estimada a existência de apenas 250 indivíduos dessa espécie, que hoje só é encontrada no Brasil. A região da Serra da Canastra, em Minas Gerais, abriga a maior população conhecida desta ave. 

Por ser muito exigente em relação à qualidade ambiental, essa ave vive somente em rios de águas limpas e transparentes, com corredeiras e abundância de peixes, seu principal alimento. Cada casal ocupa cerca de doze quilômetros de rio, onde faz seu ninho em buracos nos barrancos ou nos ocos de árvores na beira do rio. 

O Projeto Pato Aqui, Água Acolá é realizado pelo Instituto Terra Brasilis, com patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, e vem desenvolvendo numerosas ações para garantir a conservação do pato-mergulhão e dos recursos hídricos na região da Serra da Canastra.

                                                                 IMG 20180711 093754 309