Produtores rurais participam de visita à propriedade modelo em ações sustentáveis

Conhecer mais sobre aspectos da biologia e do comportamento do pato-mergulhão. Estes são alguns dos objetivos da nova campanha de captura e marcação da espécie realizada entre os dias 7 e 10 de outubro na região da Serra da Canastra pelos pesquisadores do Instituto Terra Brasilis.

Durante a campanha, foram capturados e anilhados dez indivíduos, dos quais dois foram marcados com rádios transmissores para posteriormente serem monitorados. Além disso, foram coletadas amostras de sangue para análise genética e realizados os procedimentos padrão, como pesagem, sexagem e avaliação das condições dos indivíduos.

“A campanha de captura e marcação é realizada anualmente, desde 2008, pelo Terra Brasilis, o que tem possibilitado o acúmulo de dados sobre a biologia do pato-mergulhão, contribuindo também com os estudos de genética que são essenciais para traçar estratégias para a conservação da espécie”, explica Lívia Lins, coordenadora do Programa Pato-mergulhão.

Instituto Terra Brasilis promoveu o encontro para incentivar a adoção de práticas ambientalmente adequadas nas propriedades rurais da região da Serra da Canastra

Um dos produtos mais tradicionais de Minas Gerais, o queijo Canastra é de grande importância para a economia da região da Serra da Canastra. Estimular a produção ambientalmente sustentável deste queijo, além de agregar valor ao produto, contribui para a conservação dos recursos naturais. Pensando nisso, o Projeto Pato Aqui, Água Acolá, realizado pelo Instituto Terra Brasilis, com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, promoveu a adequação ambiental de uma propriedade rural produtora de queijo para se tornar um modelo replicável, de acordo com a legislação ambiental vigente.

Com o objetivo de disseminar e divulgar as práticas que foram desenvolvidas, o Instituto Terra Brasilis promoveu, no dia 28 de agosto, uma visita dos produtores rurais da região da Serra da Canastra à propriedade modelo. As ações de adequação ambiental na propriedade foram desenvolvidas em parceria com o proprietário da fazenda, Sr. Jaime Costa. “O Sr. Jaime teve um papel fundamental neste projeto, abraçando a ideia e investindo na adoção de práticas”, destaca Lívia Lins, coordenadora do Projeto Pato Aqui, Água Acolá.

Durante a visita, os produtores conheceram as ações de adequação ambiental que foram desenvolvidas na propriedade, como a instalação de biodigestor, fossa séptica, barraginhas para retenção de águas pluviais, cercamento de nascentes e áreas ciliares e plantio de espécies florestais na pastagem.

De acordo com Lívia Lins, a visita foi muito produtiva para disseminar e divulgar os ganhos econômicos e ambientais das melhorias desenvolvidas na propriedade modelo.  “Os produtores ficaram muito interessados em adotar as ações que foram desenvolvidas, principalmente a instalação do biodigestor, que produz energia e fertilizante a partir dos dejetos bovinos”, avalia.

Produtores rurais participam de visita à propriedade modelo em ações sustentáveis