Ações para conservação do pato-mergulhão

Conhecer mais sobre aspectos da biologia e do comportamento do pato-mergulhão. Estes são alguns dos objetivos da nova campanha de captura e marcação da espécie realizada entre os dias 7 e 10 de outubro na região da Serra da Canastra pelos pesquisadores do Instituto Terra Brasilis.

Durante a campanha, foram capturados e anilhados dez indivíduos, dos quais dois foram marcados com rádios transmissores para posteriormente serem monitorados. Além disso, foram coletadas amostras de sangue para análise genética e realizados os procedimentos padrão, como pesagem, sexagem e avaliação das condições dos indivíduos.

“A campanha de captura e marcação é realizada anualmente, desde 2008, pelo Terra Brasilis, o que tem possibilitado o acúmulo de dados sobre a biologia do pato-mergulhão, contribuindo também com os estudos de genética que são essenciais para traçar estratégias para a conservação da espécie”, explica Lívia Lins, coordenadora do Programa Pato-mergulhão.

Instituto Terra Brasilis participa de eventos promovidos pelo ICMBio

chapada_boletim

Como parte da atuação do Instituto Terra Brasilis junto às políticas públicas na conservação da espécie, entre os dias 13 e 17 de abril, a equipe do Programa Pato-mergulhão, do Instituto Terra Brasilis, participou de dois eventos organizados pelo CEMAVE/ICMBio: a segunda reunião sobre o Programa de Cativeiro do Pato-mergulhão e a Oficina anual de monitoria do PAN Pato-mergulhão. Os eventos contaram com a presença da coordenadora Lívia Lins e da bióloga Flávia Ribeiro, do Instituto Terra Brasilis, além de pesquisadores de outras instituições envolvidos com a conservação do pato-mergulhão.

A reunião sobre o Programa de Cativeiro do Pato-mergulhão aconteceu em Brasília, no dia 13 de abril e, de acordo com a coordenadora do projeto Pato Aqui, Água Acolá, Lívia Lins, um dos principais objetivos foi a discussão sobre os protocolos do Programa de Cativeiro, que visa  o revigoramento da espécie. “Foi reafirmada a importância de se investir esforços na consolidação do programa de cativeiro como uma importante ferramenta para a conservação do pato-mergulhão”, comentou Lívia.

Em seguida, entre os dias 14 e 17 de abril, foi realizada  a Oficina anual de monitoria do Plano de Ação Nacional para a Conservação do Pato-mergulhão (PAN Pato-mergulhão), que aconteceu no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros/Alto Paraíso de Goiás. Durante a oficina, foi feita a monitoria e readequação das ações do PAN, além de analisadas metas e indicadores desta avaliação do meio termo do plano.

Os Planos de Ação Nacionais para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção – PAN são instrumentos de gestão que tem como um dos objetivos a troca de experiências entre os atores envolvidos, reunindo e potencializando esforços na conservação das espécies ameaçadas.

Fotografia: Vista da Chapada do Veadeiros/GO