20 patos-mergulhões são observados na região sul do Parque Nacional da Serra da Canastra

Novo território do pato-mergulhão é registrado

23/11/2018

Biólogos do Projeto Pato Aqui, Água Acolá percorreram a porção sul do Parque Nacional da Serra da Canastra para investigar o potencial dos cursos d’água para ocorrência do pato-mergulhão e para atualizar registros da espécie obtidos há mais de 10 anos na região. Nos meses de agosto e setembro foram realizadas três campanhas de campo nos municípios de São João Batista do Glória e Delfinópolis.Biólogos do Projeto Pato Aqui, Água Acolá percorreram a porção sul do Parque Nacional da Serra da Canastra para investigar o potencial dos cursos d’água para ocorrência do pato-mergulhão e para atualizar registros da espécie obtidos há mais de 10 anos na região. Nos meses de agosto e setembro foram realizadas três campanhas de campo nos municípios de São João Batista do Glória e Delfinópolis.

A equipe percorreu um total de 65km de rio, por meio de caminhadas ou descidas de caiaque inflável, e confirmou a presença do pato-mergulhão em quatro dos nove cursos d’água amostrados. Foram observados um total de 20 indivíduos da espécie, incluindo três famílias com filhotes. 

“Esses registros representam a confirmação de pelo menos três territórios mapeados há mais de 10 anos pelo Terra Brasilis, e um novo registro de ocorrência da espécie, o que reforça o grande potencial da região sul do Parque para abrigar uma grande parte da população de pato-mergulhão encontrada na Serra da Canastra”, destaca Flávia Ribeiro, bióloga do Projeto. 

O Projeto Pato Aqui, Água Acolá é realizado pelo Instituto Terra Brasilis e conta com o patrocínio da Petrobras, por meio do programa Petrobras Socioambiental.

noticia campanha 3   noticia campanha 5   noticia campanha 6

noticia campanha 8   noticia campanha 1   noticia campanha 7