Notícias

 

expo balo2

Pato-mergulhão no Festival de Balão da Serra da Canastra

Projeto Pato Aqui, Água Acolá promove exposição sobre a espécie e a riqueza natural da região

10/07/2019

O projeto Pato Aqui, Água Acolá esteve presente no 3º Festival de Balão da Serra da Canastra, realizado na cidade de São Roque de Minas O evento, que aconteceu entre os dias 5 e 7 de julho, misturou gastronomia, balonismo e música atraindo diversos turistas para a região. O projeto participou dessa mistura levando uma exposição sobre o pato-mergulhão para o evento.

Com o tema "Você e o pato-mergulhão têm muito em comum!", a exposição trouxe imagens da espécie e de paisagens da região da Serra da Canastra. As fotos são acompanhadas de textos com várias curiosidades sobre o pato-mergulhão, uma das 10 aves aquáticas mais ameaçadas de extinção do mundo e que encontra na região da Serra da Canastra um dos seus últimos refúgios. As mensagens foram todas pensadas para aproximar as pessoas do universo do pato-mergulhão e sensibilizá-las para a conservação ambiental.

O Festival de Balão foi organizado pela Estância Capim Canastra, Ecopousada Beira de Mato, Canastra 360 e Via Aérea Balonismo. Com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o projeto Pato Aqui, Água Acolá, do Instituto Terra Brasilis, vem desenvolvendo inúmeras ações voltadas para a conservação do pato-mergulhão na região da Serra da Canastra.

 

Compartilhar

 

 

veadeiros

Pesquisadores do projeto Pato Aqui, Água Acolá participam de campanha de captura do pato-mergulhão na Chapada dos Veadeiros

14/03/2019

No mês de fevereiro, Flávia Ribeiro e Wellington Viana, biólogos do projeto Pato Aqui, Água Acolá, patrocinado pela Petrobras, participaram de campanha de captura e marcação do pato-mergulhão na região do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

A equipe do projeto foi convidada a participar devido à experiência do Instituto Terra Brasilis no desenvolvimento de estudos biológicos do pato-mergulhão na região da Serra da Canastra. Desde 2008, o Instituto realiza campanhas de captura e marcação do pato-mergulhão nessa região. Até o momento 56 indivíduos, dentre adultos e jovens, foram capturados e marcados com anilhas, sendo que dessas aves, 24 também receberam rádios transmissores.

Durante quatro dias, os pesquisadores percorreram cursos d’água da Chapada dos Veadeiros e realizaram os procedimentos para tentativa de captura, como localização das aves e instalação da rede.

“Embora não tenha sido possível realizar a captura devido às chuvas intensas e aumento do volume e turbidez dos rios, quando, em geral, as aves buscam por tributários de águas claras, a troca de experiência entre os profissionais foi extremamente valiosa e contribuirá para futuras campanhas de captura e marcação”, destaca Flávia Ribeiro.

Essa campanha faz parte do projeto “Evitando a Extinção do Pato-mergulhão no Corredor Veadeiros - Pouso Alto - Kalunga” que é desenvolvido pelo Instituto Amada Terra na Chapada dos Veadeiros, sob a coordenação da pesquisadora Gislaine Disconzi e do coordenador de campo Fernando Previdente. A coordenadora do Plano de Ação Nacional do Pato-mergulhão, Rita Surrage (CEMAVE/ICMBio) também participou da ação.

O Projeto Pato Aqui, Água Acolá é realizado pelo Instituto Terra Brasilis e conta com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

 

Compartilhar

 

 

procura

Procura-se Vivo

13/03/2019

Campanha ‘Procura-se vivo’ busca aliados na conservação do pato-mergulhão

A equipe do Projeto Pato Aqui, Água Acolá, patrocinado pela Petrobras, está visitando escolas, propriedades rurais, pousadas e diversos estabelecimentos da região da Serra da Canastra. As visitas fazem parte da Campanha Procura-se Vivo que tem o objetivo de ampliar o conhecimento sobre a ocorrência e a distribuição do pato-mergulhão na região e sensibilizar a comunidade sobre a importância da conservação da biodiversidade e recursos naturais, em especial do pato-mergulhão e da água.

Durante as visitas, as pessoas recebem um calendário ambiental com fotos do pato-mergulhão, paisagens da Serra da Canastra e informações sobre a espécie. Além disso, o material contém os contatos do projeto para que as pessoas possam enviar informações de alguma observação ou registro do pato-mergulhão.

“Essas visitas são uma oportunidade de conversar diretamente com a comunidade e trocar informações sobre a observação do pato-mergulhão, além de conversar sobre como as atitudes de cada um podem contribuir para o uso sustentável da água e conservação da espécie”, destaca Wellington Viana, biólogo do Projeto Pato Aqui, Água Acolá.

A Campanha Procura-se Vivo é desenvolvida pelo Projeto Pato Aqui, Água Acolá, do Instituto Terra Brasilis e conta com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Compartilhar